sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Mobilidade Urbana: Motoristas perdem 8 dias por ano parados no trânsito, diz estudo. Nova Iguaçu ainda não iniciou a elaboração de seu Plano de Mobilidade Urbana.










A empresa TomTom, especialista em fabricação de sistemas de navegação automotiva, divulgou no último dia 07/11, resultado de pesquisa que concluiu que motoristas passam, em média, oito dias em congestionamentos do trânsito. Este índice mede os congestionamentos em 169 cidades de todo o mundo. O cálculo do estudo, feito em estradas e rodovias, comparou o tempo de viagem durante os horários de fluxo tranquilo e em horários de pico. A informação é do site Consumidor Moderno.

Para Marcelo Fernandes, gerente de operações de conteúdo da corporação, os níveis de trânsito congestionado aumentaram à medida que as economias superaram a recessão. Além disso, segundo Fernandes, a simples construção de novas estradas não adianta mais.

De acordo com  levantamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o trânsito nos horários de pico na capital paulista está 12% mais lento, como apontou comparação entre 2012 e 2011. A média de congestionamentos pela manhã era de 56 quilômetros em 2011 e saltou para 68 quilômetros no ano passado. Já no período da tarde, o aumento foi de 75 para 92 quilômetros de engarrafamentos.

Já a Fundação Dom Cabral comparou o ganho médio por hora do trabalhador brasileiro para calcular quanto os motoristas perderiam de dinheiro enquanto ficavam parados no trânsito. O resultado revelou que o prejuízo é de R$ 8 mil por ano. A revista norte-americana Business Insider também publicou que o trânsito congestionado de São Paulo custa US$ 2,3 milhões por ano e que o Brasil é o décimo país do mundo em número de veículos.

Trânsito e tecnologia
Hoje em dia, aplicativos para smartphones e outros dispositivos ajudam o motorista a encontrar alternativas para fugir dos pontos de trânsito mais lento. Um deles é o Waze, que é uma rede social com GPS que permite a troca de informações sobre engarrafamentos, acidentes e blitzes. Já o Trânsito SP 2.0 utiliza banco de dados da CET, Metrô e ViaQuarto para apresentar porcentagens de congestionamentos em relação ao total de vias. Com o Fale Trânsito é possível consultar por voz como anda o trânsito em cada região da cidade.

Ranking mundial
Embora São Paulo tenha o recorde de maior congestionamento do ano, a cidade fica atrás do Rio de Janeiro na classificação mundial. Confira o ranking das cidades campeãs de engarrafamento na segunda metade de 2013 e o percentual de vias congestionadas.

Nota: Em Nova Iguaçu tramita na Câmara Municipal desde o início deste ano a proposta da criação de uma Comissão Parlamentar para, em conjunto com os órgãos governamentais e sociedade civil, criarem um Plano Diretor de Mobilidade Urbana. A proposta parou na Comissão de Constituição e Justiça - CCJ.  De acordo com a Lei 12.587/11, o município que não tiver seu plano de mobilidade até abril de 2015, não poderá receber recursos do governo federal para esta área.

Nenhum comentário:

Postar um comentário