terça-feira, 6 de dezembro de 2011

"Nova Iguaçu quer pagar dívida às custas de aposentado", diz a reportagem do Jornal Extra

Está no Jornal Extra desta terça-feira, uma reportagem sobre o polêmico projeto de lei da prefeita Sheila Gama que mexe com o repasse de verbas para o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Nova Iguaçu (Previni). Pelo projeto, a prefeita pede que a Câmara revogue as regras atuais do repasse ao instituto, votada em 2010 pelos vereadores, anistiando multa moratória no parcelamento de débitos,  além de uma carência de três meses à prefeitura para recomeçar a fazer o pagamento da dívida. Hoje, a prefeitura paga cerca de R$ 3,5 milhões mensais ao Previni. Se o projeto for aprovado, a prefeitura deixará de colocar nos cofres do Previni R$ 10,5 milhões nos primeiros três meses após a aprovação, diz a reportagem.

O Jornal exibe também o nome e a foto dos 21 vereadores, com o título "Nas mãos deles, a decisão". 

Na sessão do dia 22 de novembro, a Câmara aprovou por unanimidade a convocação do presidente do Previni, Camilo Braz, para ir ao Plenário da Câmara e explicar os impactos financeiros da medida para os aposentados e pensionistas do município. Em seguida o projeto deverá ser apreciado pelas comissões de Constituição e Justiça (CCJ), de Orçamento e Finanças, e Servidores Públicos da Câmara. Só depois vai ao Plenário para o voto dos vereadores.

Um comentário:

  1. Dr. Troghlo Dhiita7 de dezembro de 2011 09:06

    Fundo de pensão: Instituição de captação e capitalização de contribuições que deveriam voltar aos servidores na aposentadoria, serviria para amenizar a passagem para a inatividade que é quando se perde todo o poder aquisitivo, é uma entidade que só recebe dinheiro sem produzir produtos ou serviços, recebe tudo dos céus de mão beijada, gera apenas despesas e investimentos obtusos do dinheiro alheio causando prejuízo aos trabalhadores;

    Patrocinadora: A que "não sei porque" também contribui com uma parte do bolo de cada associado, pelo definido ela não leva nada pois não se aposenta, mais é a única que indica presidente, usa e abusa do capital do fundo (pode emprestar tal dinheiro) e ainda deixa de repassar os valores pagos ao fundo pelos trabalhadores.

    RESUMINDO:O trabalhador paga e corre o risco de não receber nada, vide a situação dos aposentados aeroviários e do fundo de pensão AERUS.

    Quando se fala e, dívidas com os fundos de pensão, a única maneira correta e honesta de se comportar, principalmente por gestores temporários (prefeitos, presidentes dos fundos de pensão ou qualquer político ou mesmo participante é a de nunca em hipótese alguma prejudicar o desgraçado futuro de um aposentado neste país.

    Diz-se de aumento de expectativa de vida do brasileiro, mais na hora de aposentar-se o participante fica sabendo que não tem um centavo para receber do seu fundo de pensão, por causa das decisões erradas das patrocinadoras que consomem o dinheiro de propriedade dos participantes aí toda expectativa de vida vai por agua abaixo e o pobre, miserável e pretenso aposentado morre do coração, jogando por terra toda a tolice de maior tempo de vida...

    ResponderExcluir